sábado, 28 de fevereiro de 2009

SEGUNDO BALANÇO

Como este ano é bisexto,hoje dia 28 termina o mês de Fevereiro,ou seja o segundo mês de vida do Blague na Madrugada que se iniciou dia 5 de Janeiro, exactamente à 54 dias atrás.
No dia 21 deste mês,quando fizemos um mês e meio, sob o título PRIMEIRO BALANÇO,para além de tecer várias considerações sobre o conteudo do blog concluí que tinha sido feita uma média diária de 2 postagens. Hoje no final do segundo mês para além de continuar a concluir a dita média de 2 postagens diárias, e dividindo as actuais 160 visitas pelo numero de dias,acabamos por chegar à agradavel conclusão que o nosso blog tem pelos menos 3 visitantes por dia. O elevado numero de pessoas interessadas e a qualidade das mesmas que se pode adivinhar que são desde jornalistas, até ao homem comum, é razão mais do que suficiente para incentivar a continuação deste esforço diário da minha mulher e meu,que representa o estar diáriamente agarrado ao computador cerca de 2 horas. OBRIGADO!

ÚLTIMA HORA 2


NS'- noticias sábado'164 / suplemento do Diário de Noticias de 28.02.2009 também nos lê!
Em 09.02.2009 publiquei neste blog uma postagem também sobre o título ÚLTIMA HORA, em que alertava para o facto de à um século e meio atrás já Karl Marx tinha "adivinhado" o comportamento do capitalismo nos últimos anos que levou a actual crise económica.
Hoje na página 13 da revista mostrada acima, sob o título"Marx,bruxo mas nem tanto",começando o texto com as seguintes palavras " correu em blogs na internet e ..." o articulista pretende contradizer a minha versão apresentada anteriormente.
Aqui o importante não é a revista concordar ou não com o que eu digo,mas sim ter ficado uma prova inequivoca que o Blague na Madrugada, até já é lido por aqueles que fazem a noticia.
ASSIM VALE A PENA CONTINUAR !

MEGRE NO DIÁRIO DE NOTICIAS


PAIXÃO COMEÇOU NA TROPA, EM ÁFRICA, NOS ANOS 60.
... ... " Era um herói ", garante Carlos Paço d'Arcos.
José Megre nasceu a 26 de Março de 1942 em Lisboa. Por influência do seu Pai começou a guiar aos 13 anos. Estudou engenharia mecanica automovel na British Motor Corporation em Inglaterra, durante três anos, juntamente com um grupo de amigos: Leite Faria, Carlos Paço d'Arcos e Luis Pombal. Boémios e bem dispostos,os portuguêses eram meninos de boas familias mas não tinham dinheiro a saltar dos bolsos, por isso mesmo cedo perceberam que se queriam farras e copos teriam de trabalhar. Serviram à mesa numa tasca em Sloane Square,o Chelsea Kitchen, e tudo o que ganhavam em gorgetas estoiravam na boa vida.
De regresso a Portugal, José Megre casou-se com Paulina Macambira, hospedeira da TAP, de quem teve dois filhos, e foi trabalhar no Entreposto onde durante 30 anos ocupou vários cargos: director técnico,administrador e consultor do grupo. Também passou por Angola como alferes comando da 22º companhia, uma das mais agerridas na antiga colonia.
Cumpriu com os 24 meses de serviço obrigatório e despediu-se de África com saudade. Os amigos garantem que a guerra não o deixou " cacimbado", termo usado pelos soldados para apelidar o trauma de guerra ou stress pós-traumatico.
A paixão por expedições começou em África da década de 60. Carlos Paço d'Arcos,escritor e amigo de infancia de Megre, contou ao DN detalhes dessa primeira aventura angolana: "Era meia noite e estavamos com um grupo grande a beber copos no Calhanbeque, em Luanda. Então o Zé disse: E se fossemos andar de jipe para o deserto de Môçamedes? Então combinamos encontrarmo-nos todos às sete horas da manhã em frente ao Hotel Continental. Só aparecemos nós os dois. Eu de mala Samsonit e camisola Lacoste. Ele todo sujo e com metralhadoras G3". Esperaram até às 07.30 mas mais ninguém apareceu. A 130 km por hora,empoleirados num Mini Moke, carregado de peças de outro carro,atravessaram Angola inteira durante mais de um mês de viagem... ..." in pág. 56/57 do Diário de Noticias de 28 de Fevereiro de 2009.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

VELHOS SÃO OS TRAPOS


Hoje estive num lugar onde encontrei pessoas que não via há 40 anos. Dei por mim a observar e a tentar identificar aqueles seres gordos,de cabelos brancos,com os rostos vincados pelas rugas e pele flácida, com as imagens que deles guardadva do tempo da juventude. A única coisa que não mudou foi a intensidade do olhar e a expressão do rosto o que me permitio identificar alguns deles,embora com alguma dificuldade.
- Mas que velhos que eles estão! - Comentei eu com a minha companheira. No olhar dela apercebi-me que eu próprio também estava comos eles. O tempo passou para todos. A juventude foi-se e as agruras da vida deixaram marcas indesfarçaveis. As grandes entradas e os cabelos brancos são os primeiros sinais de alerta. A "barriga da prosperidade" e as costas abauladas não deixam mais duvidas. O corpo envelheceu e na maioria dos casos mais do que o espirito,que se recusa a aceitar esta inivitabilidade da vida.
Desde o dia em que nascemos começamos imediatamente a envelhecer numa incontornavel metamorfose celular que em obediencia à herança genética do código do nosso ADN, as celulas vão morrendo e renascendo numa substituição continua, em que cada vez vão sendo criados tecidos menos jovens até ao completo envelhecimento dos mesmos.
Teóricamente as celulas do tecido cerebral, (os já tão falados neurónios),também deviam envelhecer na mesma proporção do que o resto do corpo. O problema é que na realidade assim não acontece,pois salvo situações de AVCs ou doenças degenerativas precoces,os neurónios mantêem-se praticamente 100% activos até à sinilidade,o que ocorre geralmente só numa idade muito avançada.
A memória,esse depósito inesgotavel de recordações,boas e más, mantem-se intacta acabando por se transformar no substituitivo da vida e da ação que foi ficando para trás. Recordar é viver! -dizem - E é bem verdade pois as lembranças invadem-nos o espirito e os sonhos, fazendo desfilar diante de nós um rol de situações e pessoas que há muito deixaram de existir. Foi assim que me senti hoje,só que não estava nem a sonhar nem a recordar. Antes pelo contrário,estava acordado e a ver desfilar seres do meu passado,bem vivos e activos, apenas mais velhos do que eu os recordava.
As voltas da vida foram-nos separando em caminhos diversos, mas cada um de nós trilhou o seu e continua bem vivo a tentar levar até ao fim o que ainda nos resta de sonhos,esperança e futuro.
VELHOS SÃO OS TRAPOS...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

UM POUTUGUÊS NA CASA BRANCA


O português que tivera a maior honra na cultura americana,foi indubitavelmente D. Catarina de Bragança,que por casamento foi Rainha de Inglaterra e que deu o nome ao celebre bairro de Queens em Nova York.

No Senado também Portugal já estava devidamente representado com o Senador luso-americano Tony Coelho,e na vida social e politica podia-se contar também com a luso descendente Teresa Kery, mulher do candidato presidencial que enfrentou W. Bush nas últimas eleições em que este participou.

Em Hollywood a representação Nacional também não era menos importante,pois Joaquim de Almeida,conjuntamente com o espanhol António Banderas souberam conquistar um lugar ao sol na Meca do cinema apesar de serem europeus e ainda por cima Ibéricos.

Só faltava mesmo sonhar em ter um Português na Casa Branca, o que acontece finalmente agora,de acordo com a noticia da primeira página do Diário de Noticias de hoje, em que apela ao Patriotismo Nacional porque o casal Obama vai ter como animal de estimação na Casa Branca um cão d'água Português...

Esta noticia é muito importante para todos os portuguêses. Anteriormente qualquer cidadão nacional que fosse questionado na América acerca de qual era a sua nacionalidade, ao responder que era português, invariavelmente ouvia como resposta o comentario: "tem graça é da nacionalidade da empregada doméstica de casa do meu chefe". Agora os portuguêses já não terão mais que se sujeitar a este vexame,pois certamente passrão a ouvir como comentário:" tem graça é da nacionalidade do poodle dos Obama".

E VIVA O NACIONAL PORREIRISMO! JÁ HÁ UM PORTUGUÊS NA CASA BRANCA.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

E A VIDA CONTINUA...


Estando provavelmente a Isabel à porta "do outro lado",seja ele qual for, a vida continua...
Depois da despedida as minhas três filhas e dois dos seus companheiros convidaram-me para jantar num restaurante das próximidades. Faltava a presença do companheiro da mais nova impossibilitado e do meu filho ausente.
Secaram as lágrimas e devorou-se um bife que alimentou de amor o meu coração na altura tão fragilizado e carente. - Que bom que é ter uma familia assim!
Acabára de perder uma irmã, mas também acabára de ganhar um novo filho...wellcome to the family - E A VIDA CONTINUA...

A MORTE NA IMPRENSA


"MORREU A ESCRITORA ISABEL PAÇO D'ARCOS"... Assim foi noticiado na RTP e nos principais jornais nacionais a morte da minha irmã Isabel.
Curiosamente quando em vida, as pessoas dão tudo mais um par de botas para aparecerem numa fotografia das revistas ou serem noticia dos jornais por qualquer motivo, mas quando da morte parece haver um estranho pudor que geralmente acaba por limitar o papel da imprensa às frias e protocolares participações nas páginas da Necrologia com apenas direito a uma foto tipo passe e uma sinistra cruz negra. Felizmente neste caso a agência Lusa esteve atenta e repassou a noticia do desaparecimento de mais um escritor português.
Á saida do enterro chocou-me assistir a uma cena que é a prova real do que aqui acabou de ser dito. Escondida atrás da carreta funerária estava uma grande tele-objectiva de um qualquer reporter de imagem que procurava assim, fotografar sem ser visto o acontecimento que o seu chefe de redação certamente considerou digno de noticia.
Concordo que a dor da perca de um ente querido e chegado é algo de muito particular e intimo. Devem ser chamados os familiares e amigos para acompanhar de perto as cerimónias funebres tão necessárias para a catarse da dor transformando-a em saudade. Mas a existencia de qualquer pessoa não se limitou só a estes que lhes estiveram tão perto, pois ao longo de uma vida foram deixadas marcas nos vários quadrantes da Sociedade, criando amores e ódios, admiração ou indiferença, o que faz da morte não mais um assunto privado mas sim um assunto público que pode interessar a um leque bem mais amplo do que o dos intimos.
Por muito insipida que tenha sido a vida de uma pessoa certamente que houve algo em que ela foi boa e se notabilizou, pelo que,quanto mais não seja por este motivo, como homenagem o seu desaparecimento deve ser comunicado ao maior numero de pessoas possível. No caso da minha irmã Isabel,foi o desaparecimento de uma escritora.
MORREU A ESCRITORA ISABEL PAÇO D'ARCOS.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

ATÉ SEMPRE ISABEL


"Sempre senti que a vida me exigia algo que me transcendia.
Perdida, sem saber porquê.Culpada, por não conseguir chegar a Deus. E afinal...como tudo é tão simples! Deus está dentro de mim,está dentro de ti,na flor que desabrocha,no garoto da rua sujo e esfarrapado, na morte violenta ou na guerra sangrenta."
Isabel Paço d'Arcos
Ela caminha lado a lado com a sua inseparavel "Preta" com o seu olhar perdido na infindavel planicie alentejana nas traseiras do seu quintal...
Foi nos claustros da Estrela onde os amigos vieram dizer o último adeus. A musica ouvia-se baixinho e não cheirava nem a incenso nem estearina. Dir-se-ia que não se estava numa Igreja pois o Templo ali era o coração de cada um de nós. Ao centro as formas simples do caixão, guardavam os restos terrenos daquela que partia em direcção ao infinito. Em cima cada um colocava os simbolos da sua Saudade como se fosse o tampo de um piano onde molduras com fotografias dela, ramalhetes de flores silvestres e poemas de autores que a amaram, não destuavam naquele espaço sagrado geralmente incipido e austero. Até as grandes coroas de flores,que por natureza costumam ser funebres e agoirentas,ali brilhavam como um eterno grito há vida "QUE DA LEI DA MORTE SE FOI LIBERTANDO".
Ninguém faltou! A geração dos meus Pais bem representada pela Manani e Alvarinho Ponte e outros,a nossa esteve em peso desde todos os seus amigos e amigas,como os amigos dos seus irmãos. A Tia Teresa como matriarca da familia encheu-nos de saudades ao fazer-nos lembrar a nossa Mãe que também já partiu e que tanto se assemelha a ela. Com o seu cabelo todo branco a nossa Adelaidona ainda impunha toda a dignidade de alguém que dedicou uma vida à nossa familia e que tão bem cuidou dos últimos dias do nosso Pai. Também ela chorava por dentro enquanto como todos nós sorria por fora ao vêr agora também partir a Isabelinha a nossa Bébe.
Nem missa nem orações em cumprimento da sua última vontade. Apenas palavras singelas e sinceras proferidas pela sua filha Maria e marido e pelos seus irmãos. No final cada um levou para casa a foto e o poema que aqui vemos e as lágrimas que molhavam os nossos corações secaram e abriram-se num rasgar de sorriso ao som de uma espontanea e ruidosa salva de palmas que aplaudia a vida daquela que tanto amam e que certamente continuava a caminhada levando agora a seu lado não mais a "Preta",mas sim o "VELHO, SEU AMIGO NO ALÉM"...

Morreu a Escritora Isabel Paço d'Arcos-Diário Digital

Diário Digital
Clique em cima a noticia da Lusa

UMA AMIGA NO ALÉM





Como eu já vinha prevendo em intervenções anteriores neste Blog, esta madrugada passou para o outro lado ao encontro do seu AMIGO NO ALÉM, a minha querida irmã Isabel que tantas saudades deixará.
A Isabel era a mais nova de seis irmãos unidos que se fizeram fotografar juntos ao longo da vida, conforme pode ser visto em cima.
Isabel Paço d'Arcos,de 54 anos, foi uma Pesquisadora das ciências holisticas e Escritora,autora do livro UM AMIGO NO ALÉM publicado no ano 2000 na coleção 3º Milénio da Editora Pergaminho, que esgotou num ápice, em cuja contra capa disse:
" Pode parecer estranho,mas desde que abri a minha mente para certas coisas,depois de muitas e muitas leituras,compreendi um Mundo para além do que me era dado vêr e perceber.E tudo mudou. Mudei eu e o Mundo,pois comecei a encara-lo de outra maneira,a olha-lo com os olhos da alma.
Talvez não me acreditem se eu disser que tenho um amigo no ALÉM. Tal como todos nós. Só que eu conheço esse meu amigo."
- ISABEL ! NÃO TE ESQUEÇAS DA CUNHA QUE TE PEDI PARA METERES JUNTO DO VELHO, O TEU AMIGO NO ALÉM,PARA QUANDO CHEGAR A MINHA HORA...
ISABEL ! BEBÉ ! IRMÃ DA MINHA ALMA ! ETERNA SAUDADE...
Do teu irmão preferido Carlos


domingo, 22 de fevereiro de 2009

O PERIGO AMARELO





Quando eu era pequeno o meu Pai que era Administrador Bancário costumava dizer-me que no futuro teriamos é que nos preocupar com o perigo amarelo. Confesso que na altura essa afirmação parecia-me por demais ridicula pois era impossivel imaginar qualquer espécie de perigo naqueles homenzinhoa amarelos de olhos em bico a comerem com pauzinhos no outro lado do Mundo. O Mundo entretanto cresceu e mudou. Dos três mil e quinhentos milhares de milhões passou para o dobro ou seja o impressionante número de sete mil milhares de milhões,ou seja na versão americana 7 bilhões de habitantes. Curiosamente desses cerca de um terço são asiáticos de raças amareladas orientais,pois só chineses são actualmente 1,5 bilhões de homens pequeninos e amarelos.
Como se presume, que mesmo que eles não venham a caber todos nos seus países, certamente não virão a nado invadir o Ocidente, pelo que continua a não fazer sentido as proféticas palavras do meu Pai. A minha primeira duvida surge quando começo a vêr em cada esquina do meu bairro uma loja de chineses que vendem de tudo um pouco ao preço da uva mijona,empurrando para a falência o comercio tradicional.
No noticiário de ontem vi e ouvi que estavam reunidos em Berlim os Países do G20, sobre os hospicios da Chanceler alemã Angela Merkel apoiada por Nicolas Sarkozy, Silvio Berlosconi e o sempre presente José Manuel Barroso, o nosso dignissimo Presidente da Europa. Como sabem o G20 é o grupo das Nações mais ricas e industrializadas da Europa que se reunem para discutir a Regulação dos Mercados com vista à Nova Ordem Económica Internacional, duplicando os Fundos do FMI, numa vã tentativa de fazerem face à actual crise que está a arrastar o Mundo para um lamaçal de fome e miséria.
Mais à frente no mesmo noticiário mostravam a primeira viagem oficial,de Hillary Clinton à China, a nova Secretária de Estado norte americana acabadinha de ser nomeada pelo Presidente Obama. No meio dos habituais lugares comuns sempre em discussão, como os direitos humanos e cooperação estratégica, Hillary congratulava-se por a China ser o maior credor dos Estados Unidos, detentora de um terço da Divida do Tesouro com cerca de 900 mil milhões de dólares em Bónus do "Federal Reserve". Foi até mais longe incentivando o Governo chinês a investir ainda mais na Divida Externa do seu País. Para se ter uma vaga ideia da grandiosidade destes números,basta lembrar que o Presidente Barack Obama viu-se e desejou-se para que o Senado e o Congresso aprovassem o seu plano de emergência para salvar a ecónomia americana que era apenas de 700 mil milhões de dólares.
Postos os factos e analisando os mesmos a frio já começam a fazer sentido as palavras do meu Pai. Realmente eles não vêem a nado nem nos vêem conquistar através de uma terceira guerra Mundial, mas sim através de meras operações financeiras que acabarão por levar o ainda País mais poderoso do Mundo a ajoelhar-se aos pés dos novos "Mandarins"da China.
Um terço da população da Terra e um terço da ecónomia Global são razões mais do que suficientes para se temer O PERIGO AMARELO.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

ZÉ MEGRE,PARTIU PARA A ÚLTIMA VIAGEM


MORREU O PAI DO TODO-O-TERRENO

HOJE MORREU DE DOENÇA PROLONGADA O MEU GRANDE AMIGO DE HÁ 40 ANOS JOSÉ MEGRE. AQUI FICA A MINHA HOMENAGEM:
-" Foi no Mini Moke que fiz a minha primeira expedição no Sul e no Centro de Angola, País que me fascinou completamente e que foi a minha introdução violenta a África. Tinha combinado encontrar-me com mais de uma dezena de proprietários de outros Moke, no Dondo, a 180 kms de Luanda, mas só aparecemos dois, o Carlos Paço d'Arcos e eu.
Arrancamos no meu carro,que tinha duas espingardas G3 montadas, em suporte de Unimog nos guarda-lamas...
Fomos de Luanda a Nova Lisboa,hoje Huambo e depois a Sá da Bandeira, Moçâmedes,Porto Alexandre e Baía dos Tigres, esta parte pela praia. No regresso a Luanda,passamos por Novo Redondo,Benguela,Lobito,Gabela e ainda fomos às cataratas do Duque de Bragança, próximo de Malange. A maioria destas cidades mudou de nome, últimamente.
No Sul, vi pela primeira vez um deserto, o Namibe,com a sua Welwitia Mirabilis,planta carnívora,dentro da qual tirei uma fotografia. Só 23 anos mais tarde voltaria àquele que foi o meu primeiro deserto,quando ali passei com o rali Paris-Cidade do Cabo. Parei a meio do troço cronometrado para comemorar a efeméride. Foi como se tivesse posto o conta quilometros a zeros." ( in pág. 127 do livro 30 ANOS DE AVENTURA de José Megre).

- " E agora sim, vou falar do meu grande amigo e aventureiro, primeiro companheiro de viagens, José Megre. O hoje famoso José Megre, o primeiro português a fazer o Paris-Dakar, grande piloto que organiza constantemente viagens de Jeeps por esse Mundo fora, desde a Patagónia até às estepes geladas da Sibéria,até aos altos picos do Tibete, do Nepal,do Butão,sempre no topo do Mundo, nos Himaláias e no Evereste. " Isto é quase como um sinal de retribuição a ele,Megre, que na publicação do seu primeiro livro de aventuras - Por sinal uma obra-prima com fotos coloridas de todas as partes do Mundo - atribui a responsabilidade da sua primeira aventura pelo deserto do Kalahari à viagem que fez comigo, chegando mesmo a publicar uma foto de nós os dois, algures sentados no Mini Moke.
Estás a ver, Zé? Acusaste-me de, no outro livro que escrevi sobre metade da minha vida, o Xadêz do Poder,que entre as muitas peripécias de que falei me esquecera de ti. Agora,não me esqueci. Está aqui para que toda a gente saiba que eu fui o teu primeiro companheiro de viagem e tu foste o meu mestre e professor nessas viagens e nessas aventuras, que transformaram a minha vida,pelo facto de seres mais velho do que eu, mais maduro e teres acabado de sair de uma guerra como oficial dos Comandos." ( in pág.63/64 do livro de Memórias de Carlos Paço d'Arcos, DA LEI DA MORTE LIBERTANDO).

-" E lá partimos,os dois,cabelo ao vento por essa estrada em direcção ao Sul de Angola, que nos levava como primeira etapa a Nova Lisboa,seguida da descida de Sá da Bandeira,até à cidade de Moçâmedes,pela perigosissíma picada da Tundavala,que desce a pique 800 metros de profundidade/altura do Planalto do Bié - até ao nivel do mar, onde finalmente chegamos a Moçâmedes, para a seguir entrarmos nas areias do deserto que percorremos de-lés-a-lés,até à Foz do Cunene,última fronteira angolana com o Sudoeste Africano,hoje Namibia.
Foi algo inesquecivel percorrer, no meio daquelas manadas de zebras, bois-cavalos, e todo o tipo de caça grossa,essas areias do deserto naquele «jipinho»,que parecia desfazer-se a qualquer momento.
Estava, finalmente na África profunda...!" (in pág. 66 do mesmo livro).

-"...Ou, até mesmo, as viagens fantásticas feitas com o Zé Megre até aos confins de Angola e pelas areias quentes do deserto do Kalahari onde, na linha do horizonte,o ar aquecido pelo sol tórrido cria miragens,fazendo nascer lagos imensos de água onde apenas existe areia amarelada e pedregulhos, alternando de quando em vez com canyons imensos e profundos,qual Grand Canyon nos Estados Unidos, colando com a savana,onde correm livremente manadas de toda a espécie de animais de caça, no meio das quais nós nos divertíamos a correr lado a lado,com o Jeep,para ter a sensação de liberdade e de perigo ao mesmo tempo." ( in pág.95/96 do mesmo livro).

- " Em Luanda, ainda tive a terceira e a quarta casa. A terceira foi com o Zé Megre, no Largo da Sagrada Familia,em frente à igreja do mesmo nome" (in pág. 300 do mesmo livro).

- MAIS PALAVRAS PARA QUÊ?! - PARA O ZÉ A ETERNA SAUDADE...

A AVENTURA,O ZÉ E EU


1ª Foto: Primeira página do livro do José Megre " 30 ANOS DE AVENTURA/ DO PARIS DAKAR À ANTÁRCTIDA/1999" mostrando na patibanda a foto do autor e o mapa do Mundo onde estão assinalados os percursos desbravados por ele.
2ª Foto: Zé Megre e eu na sua primeira expedição, Angola 1969, "página 121 do mesmo livro".

PRIMEIRO BALANÇO

Faz hoje um mês e meio que iniciei a Blague na Madrugada, mas já parece que foi um ano e meio tal é o numero de intervenções já feitas no blog. Postagens já são 110 dirigidas a 5 Seguidores e mais de 100 Visitas. Quando o iniciei tinha-me comprometido comigo mesmo a intervir pelo menos uma vez por dia, pelo que se dividirmos o numero de 110 Postagens pelos 45 dias decorridos,temos uma média de 2 Postagens diárias.
Quanto aos conteudos acho que eles não podiam ter sido mais ecléticos do que foram pois desde fotos e comentários das minhas viagens há volta do Mundo, até criticas sociais e politicas,passando por análises filosóficas e religiosas, de tudo se falou um pouco. É claro que eu não reenvindico qualquer mérito literário e muito menos estilo e forma, pois sei que até erros ortográficos tem porque eu nunca deixei de ser o escritor portugues que se considera analfabeto.
Grande parte do mérito devesse aos leitores, que com as suas visitas e comentários, favoraveis ou desfavoraveis têem alimentado a minha vontade de manter aberta esta nova janela que põe a minha SOLIDÃO dos 60 anos em contacto com o Mundo.
Nos videos enseridos nas duas Postagens a seguir dá-se uma pequena ideia de como era há uma década atrás com o meu programa de rádio que ia para o ar todas as noites da meia noite à uma,onde lançando a minha voz "pelo ar" transportei a Revolução da Palavra até 50 000 ouvintes e leitores, que não só escutaram a minha voz diáriamente, como esgotaram os dez livros que publiquei, alguns dos quais Best-Sellers. Compra-los hoje é impossivel por já não se encontrar um único exemplar à venda por esgotamento dos stocks, pelo que vos deixo uma vaga ideia através da imagem do segundo video. CLIQUE EM CIMA,VEJA E OIÇA!

HÁ UMA DÉCADA ATRÁS

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

OS MEUS LIVROS

REVOLUCIONÁRIA OBESA


Hoje estava a vêr um programa de televisão na SIC Mulher àcerca da obesidade. Como entrevistadas estavam uma ex-obesa a falar do lançamento do seu livro sobre este tema e a já tão nossa conhecida de várias aparições televisivas anteriores, a Professora Doutora Isabel do Carmo, uma das maiores especialistas desta area em Portugal, autora de vários livros publicados sobre a temática da obesidade,o nutricionismo e como emagrecer miracolosamente.
Quem na altura estivesse como eu a assistir ao programa, certamente achou estranho que aquela mulher de corpo volumoso e obeso,tenha tanto a dizer aos outros sobre a temática do emagrecimento e não consiga fazer nada pelo seu próprio corpo. Mas que a Senhora deve ser boa no que faz certamente não haverá duvidas, se não, não estaria constantemente a aparecer na televisão a falar-nos sobre nutricionismo.
O mais curioso é que somente muito poucas pessoas das que estiveram assistir se devem lembrar,ou associar esta personalidade respeitavel da medicina, com a imagem que guardamos dela dos tempos do PREC "Processo Revolucionário em Curso" quando era figura frequente das primeiras páginas dos jornais e abertura de noticiarios, como a "Passionária" portuguesa ou a Che Guevara no feminino.
A revolucionária Isabel do Carmo,foi fundadora em 1973 do PRP-BR ( Partido Revolucionário do Proletariado-Brigadas Revolucionárias), que desde a sua fundação defendia o recurso ao terrorismo da luta armada para libertar o povo da opressão fascista. Isabel do Carmo foi reconhecida internacionalmente ao mesmo nivel de outras Terroristas famosas internacionais tais como Frau Meinhof do grupo Baader Meinhof na Alemanha e Margherita Cagol das Brigadas Vermelhas ( Brigate Rosse) em Itália, que nos anos 70 aterrorizaram as Sociedades Burguesas com os seus atentados á bomba, homicidios a sangue frio e desvios de aviões.
Todos estes grupos terroristas tiveram invariavelmente o mesmo desfecho com a prisão dos seus membros que os atirou para a cadeia ou para o suicidio, pondo termo definitivamente a um periodo de terror. O destino da nossa Revolucionária não podia ter sido diferente e um dia a sua prisão fez manchete em todas as primeiras páginas de jornais.
O PREC acabou , e com ele desapareceram as nossas versões domésticas de terrorismo á portuguesa,quer se tratasse das Brigadas Revolucionárias de Isabel do Carmo ou das Brigadas 25 de Abril de Otelo Saraiva de Carvalho. Estes nomes foram-se esfumando no tempo em pequenas noticias de roda pé que iam dando conhecimento dos interminaveis processos judiciais em curso que, como não puderia deixar de ser, acabaram todos em águas de bacalhau.
Bacalhau e outros petiscos devem ter sido os novos interesses da nossa Revolucionária, que a levaram a trocar as bombas pelo nutricionismo, e a elegante figura do seu corpo jovem e esguio de outrora pelo o corpo obeso e balofo da matrona que presentemente entra pelas nossas casas a dentro através dos programas femininos de televisão.
É a ironia da história em que as nossas refencias revolucionárias do passado acabam por se transformar em referencias burguesas a combater na actualidade!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

SINDICALISMO JURASSICO


Ontem ouvi na televisão o homem mais rico de Portugal, é claro que me refiro ao Belmiro de Azevedo, dizer que o nosso sindicalismo precisa de renovar os seus dirigentes.
Concordo inteiramente com esta afirmação pois os líderes das nossas duas Centrais Sindicais,são autenticos dinosauros do tempo do Jurassico.
Na CGTP/IN o seu secretário geral Carvalho da Silva está lá desde a sua fundação logo a seguir ao 25 de Abril.
Na UGT o seu secretário geral João Proença,não está lá desde a sua fundação pois veio imediatamente a seguir ao fundador Torres Couto,mas é como se estivesse pois já lá vão também umas dezenas de anos.
Recordo-me bem da polémica que há mais de trinta anos se instalou á volta da criação ou não de Centrais Sindicais. O PCP e demais partidos á sua esquerda defendiam uma solução a que chamavam de Unidade Sindical. O PS e demais partidos há sua direita defendiam uma solução oposta a que chamavam de Unicidade Sindical e que consistia na independencia dos Sindicatos sem qualquer vinculo entre eles. Acabou por vencer a primeira solução com a constituição da Intersindical que mais tarde veio a chamar-se de CGTP/IN, congregando todos os Sindicatos de tendencia comunista,sob os hospicios e dominio do Partido Comunista. Imediatamente a seguir fundou-se a UGT,União Geral dos Trabalhadores,unindo os Sindicatos mais moderados e não comunistas por iniciativa de um acordo entre o PS e o então PPD hoje PSD. Torres Couto pelo PS e Rui Oliveira e Costa então pelo PSD foram dois elementos de peso nessa constituição. Com Carvalho da Silva e João Proença há tanto tempo á frente dos destinos do Sindicalismo Nacional, os Sindicatos acabaram por se transformar em pesadas máquinas de burocracia obsuleta, incapazes de representar os reais interesses dos trabalhadores,uma vez que estão completamente dependentes das motivações politicas dos partidos de que dependem.
Certamente foi isto que quis dizer um dos maiores empregadores do nosso País, Engenheiro Belmiro de Azevedo que através do seu Grupo Sonae, cria anualmente cerca de 3.000 novos postos de trabalho.
Nesta época de crise que vivemos agora, com a avalanche de falências sucessivas de pequenas e medias empresas portuguesas e até mesmo algumas grandes de ambito internacional,torna-se vital que os trabalhadores possam ter uma acção directa racional e pratica na tentativa de diminuição do desemprego, em vez das atitudes irracionais e ideologicas, orquestradas pelos partidos politicos que têem promovido greves desajustadas á situação frágil das tesourarias dos empregadores. Seria bem mais acertado se no lugar das greves promovessem uma concertação com os empregadores no sentido de aumentarem a produção e até mesmo sacrificarem parte dos seus salários se isso vier a viabilizar a sobreviência das empresas. Estas e outras medidas possiveis de serem acordadas em concertação social certamente evitariam a falência de muitas empresas com o consequente despedimento colectivo.
- "Mais vale um passaro na mão do que dois a voar". Que é como quem diz mais vale um emprego a trabalhar mais e a receber menos do que ficar desempregado sem qualquer possibilidade de arranjar um novo emprego.
- Mas há o Subsidio de desemprego que vai dar para desenrascar durante os próximos três anos?!- Estarão vocês certamente a dizer. - Teoricamente isso seria verdade se entretanto a Segurança Social,que já se encontrava numa situação de ruptura em relação ás reformas,não arrebentar de vez. Os fundos não são ilimitados e estão baseados num equilibrio entre as verbas recebidas dos trabalhadores activos contra as verbas pagas aos trabalhadores passivos, desempregados e reformados. Estes calculos foram feitos com base em racios de proporcionalidade normais e não na situação extraordinaria do numero de desempregados aumentar esponencialmente. Ora como a matematica não é uma batata a continuação do aumento dos despedimentos não poderá ter outro desfecho que não seja a incapacidade da Tesouraria da Segurança Social para continuar a pagar as reformas e subsidios de doença,mais a avalanche de novos subsidios de desemprego. Resultado: FOME


quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

AFEGANISTÃO UM NOVO VIETNAME


Na minha intervenção de ontem havia uma luz de esperança através do novo Presidente do Mundo Barack Obama. Nas aberturas dos telejornais de hoje essa luz foi ofuscada com a noticia de que Obama envia mais de 17 mil soldados para o Afeganistão, a juntar hás várias dezenas de milhares que já lá estão.
O Afeganistão foi o deserto onde se perderam os tanques Soviéticos que durante uma década (1979/89) invadiram aquele território tentando destruir a luta de guerrilha dos Mujahidin que tentavam derrubar o governo comunista pró-Soviético. O Vietname foi o lamaçal onde durante uma década (1964/75)se perderam os Marines americanos que enfrentaram os guerrilheiros vietcongs que lutavam pela unificação do seu País, dividido entre Norte e Sul pela barreira ideologica.
O Afeganistão foi o País que em 2001, o Presidente W. Bush mandou invadir para combater o governo Taliban instalado desde 1996,como represália contra o famigerado Osama Bin Laden,depois da destruição das Torres Gemeas em 11 de Setembro.
A invasão do Iraque por meras razões petroliferas veio a seguir relegando o Afeganistão para um segundo plano,onde as tropas da NATO eram suficientes para manter a ordem democratica.
Quando há 45 anos atrás o Presidente Lyndon Johnson enviou umas dezenas de milhares de soldados americanos para o Vietname, envolvendo-se assim irremediávelmente num conflito regional que ele já vinha apoiando descretamente desde o tempo do Kennedy,deu um primeiro passo para a DERROTA mais vergonhosa da história dos Estados Unidos, em que o exército mais poderoso do Mundo foi incapaz de vencer uma guerra de guerrilha, fugindo com o rabo entre as pernas deixando ao abandono e á mercê da fúria sanguinária dos vietcongs milhões de sul-vietnamitas que confiaram na sua proteção.
Quando agora o Presidente Barack Obama envia umas dezenas de milhares de soldados americanos para o Afeganistão envolve-se também irremediavelmente num conflito regional,volta a dar um primeiro passo para a eventual segunda DERROTA mais vergonhosa da história dos Estados Unidos.
É sabido que uma guerra de guerrilha nunca pode ser vencida seja qual for a potência do exército invasor. A história é bem clara e mostra-nos que todas as tentativas anteriores sucumbiram em uma década. Faltam apenas mais dois anos para completar uma década da invasão dos americanos ao Afeganistão. A paz podre que ali se vivia hoje não era mais um problema dos americanos mas sim da Comunidade Internacional que ali tinha as suas tropas de manutenção da paz através da NATO.
É inegavel o direito de resposta para satisfazer a ansia de vingança do povo americano, mas essa vingança já tinha sido obtida, só faltava matar o Osama Bin Laden. Estas duas dezenas de milhares de soldados agora enviados não serão certamente as últimas tropas que virão a ser necessárias para a guerra agora reiniciada naquele deserto traiçoeiro onde engoliram o pó há vinte anos atrás várias dezenas de milhares de soldados soviéticos, que apesar da supramacia dos seus blindados e dos helicopteros de combate,viu-se impotente contra um exército invisivel de guerrelheiros que se escondia nas interminaveis cavernas da região.
Barack Osama Obama não aprendeu com os erros da história, e inicia hoje uma nova página da história que certamente será um novo erro...

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

YES WE CAN


Eu tinha prometido a mim mesmo que iria resistir á tentação simplista de alimentar este blog com comentários politicos afim de poder manter o propósito inicial de que o Blague na Madrugada possa ser um espaço eclético onde se fala de tudo e de todos, para dizer bem ou mal mas sem qualquer compromisso com ninguém.
Depois das ultimas intervenções desde os Barbudos até ao Hugo Chavéz,passando pelo nosso Primeiro,( Ministro e não Sargento), de cariz essencialmente politico e socializante,não podia passar para outros temas sem abordar a eleição do novo Presidente do Mundo, Barack Obama, para além do texto ridicularizante e racista que publiquei no dia da sua eleição.
Ao ouvir o seu discurso da vitória com voz pausada e olhar que transmitia toda a confiança que lhe vai na alma, à imagem dos demais cidadãos do Mundo, eu fiquei sensibilizado e empolgado ao mesmo tempo,sem saber se era devido a tanta ingenuidade ou se ainda havia em mim uma réstia de esperança para a Humanidade. Talvez tenha sido assim que se sentiram os Apóstolos ao ouvirem Jesus Cristo proferir o Sermão da Montanha. Se no final Obama encerrasse com a frase "OLHAI OS LÍRIOS DO CAMPO...",eu não me surpreenderia, tal era a similaridade dos sonhos propagados em ambos os sermões.
Cristo foi o primeiro a vir dizer que todos os homens, como filhos de Deus,são livres. Na Revolução Francesa foi acrescentado que além de livres todos os homens são iguais. Marx acaba por acrescentar que além de livres e iguais,têem os mesmos direitos sem quaisquer excepções.As ideias socialistas, ( inclusivé as comunistas),tentam por em pratica estes axiomas. A constituição Americana também os professa, embora na pratica isso não passe de uma mera ilusão,pois ela é seguida por uma Sociedade onde impera um Capitalismo selvagem, em que os ricos estão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres.
A administração do anterior inquilino da Casa Branca,Sr. W. Bush, que "para burro só lhe faltam as penas", foi o melhor exemplo do que acabei de dizer. Com a sua politica do Eixo do Mal, dividindo o Mundo nos que estão com ele e os que estão contra ele, não admitindo qualquer outra alternativa intermedia, fez retroceder a America aos tempos do Farwest prometendo recompensas pelas capturas dos inimigos vivos ou mortos. O proteccionismo que foi dado à ganância do capital,nomeadamente em Wall Street à banca e promotores imobiliários, incentivou o inadmissível crime da especulação do sub prime e a consequente catastrofe financeira actual.
- YES WE CAN! É esta a mensagem de esperança que um simples Afro-Americano, descendente de imigrantes oriundos de uma das regiões mais pobres do Globo,veio trazer a uma Sociedade das mais racista e injusta de que há memória...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

CHAVÉZ / 54,5%


O SIM ganhou no referendo na Venezuela permitindo a Hugo Chavéz ser reeleito sucessivamente como Presidente daquele Pais Sul-Americano e lider incontestado da auto denominada Revolução Bolivariana. É mais um MOMENTO DE VIRAGEM no Mundo!
Desde o último MOMENTO DE VIRAGEM,que foi a queda do muro de Berlim há quase duas décadas atrás e o consequente desmoronamento da União Sovietica, que não acontecia no Mundo nada de tão importante como este SIM...
Passo a explicar: Depois dos setenta anos que durou o Imperialismo Sovietico que se contrapunha ao Americano, num equilibrio de forças baseado na escalada nuclear,em que nenhum dos blocos tinha supremacia sobre o outro sob pena de destruir o Planeta num Holocausto Nuclear, deixou de haver qualquer barreira que se opusesse ás intenções espancionistas dos Estados Unidos. O aparecimento do Nacionalismo Islâmico com a consequente politica de actos de torrorismo como a destruição das Torres Gemeas, em vez de ter um efeito dissuasor no Imperialismo Americano acabou por lhe servir de desculpa para promoverem bombardeamentos e invasões de nações independentes e livres.
Mas esta politica espancionista já dura há mais de um século na America Latina, desde os tempos em que a companhia americana United Fruit, sempre apoiada pela CIA exportava para os paises da America Central e do Sul a sua "banana chiquita" conjuntamente com as revoluções que punham e disponham a seu belo prazer dos governos dos paises daquele conturbado Continente.
A maioria destes paises foram fundados acerca de dois séculos atrás,libertando-se de outro Imperialismo anterior ou seja o Colonialismo espanhol,em multiplas revoluções inspiradas nos ideais de Simon Bolívar, o Libertador das Americas.
Os Estados Unidos consideravam o resto do Continente americano como o seu quintal das traseiras ( back yard) desde o celeiro que representa o Canada até à mina de ouro e pedras preciosas da America do Sul, passando pelo pomar de fruta da America Central. Qualquer governo que se lhe oposessem seria imediatamente deposto por um golpe de estado ou revolução fumentado pela CIA, e substituido por um ditador fantoche numa autentica republica das bananas. Era o tempo da ditadura da "banana chiquita".
Ventos de esperança e libertação surguiram pelos anos cinquenta através da odisseia revolucionária do novo libertador,Che Guevara, que da Argentina á Colombia e paises limitrofes espalhou os ideais revolucionários socialistas,que acabaram por ter eco definitivo na Revolução Cubana de Fidel Castro.É uma pedra encravada no sapato dos americanos da qual até hoje não se conseguiram livrar apesar dos esforços despendidos nesse sentido desde a malograda invasão da Baia dos Porcos até ao famigerado bloqueio que já dura inutilmente há quase meio século. O recente afastamento do " El Comandante" por motivos de saúde e a sua substituição no comando dos destinos daquela ilha das Caraibas para o seu irmão Raul Castro,veio ameaçar perigosamente a continuação daquele autentico espinho encravado no coração da America, verdadeiro ex libris da sobrevivência do Socialismo depois do desmembramento do pacto de Varsóvia. Restava apenas uma luz de esperança para a sobrevivência do Socialismo do século XXI personificada pelo substituto natural do "El Comandante", o Presidente Hugo Chavéz e a sua Revolução Bolívariana. Esta Revolução opõe-se terminantemente ao Imperialismo Americano e promove a união de Estados na America do Sul e Central, inspirada nos ideais do seu mentor o Libertador Simon Bolívar. Em estreita cooperação com o regime cubano a Venezuela substituira-se com o seu petroleo ao apoio internacional anteriormente dado pela União Sovietica, recebendo em troca milhares de médicos e professores, que por falarem a mesma língua eram de fácil integração nas populações tão carenciadas da Venezuela.
Hugo Chavéz em menos de dois mandatos presidencias,através de uma democracia musculada impos um novo Socialismo á Venezuela que até então não passára de um paraíso para uma oligarquia milionária que explorava quartoze milhões de "campezinos" analfabetos. A Revolução Bolívariana está em curso e com ela uma eventual mudança do mundo moderno ao qual o próprio Obama aderiu, mas corre o risco de falência face á impossibilidade constituicional do seu comandante ser reeleito...
Hoje esse risco desapareceu com a vitória do SIM ! A America preocupou-se tanto com o outro lado do Mundo que se esqueceu do seu quintal das traseiras. - Lá se vai o back yard pró maneta!

domingo, 15 de fevereiro de 2009

SÓCRATES/96,5%


Fecharam as urnas da eleição interna do Partido Socialista e o nosso Primeiro foi reeleito para o lugar de Secretário Geral com a impressionante percentagem de 96,5% dos votos dos militantes.
Se levarmos em consideração que já se aproxima o final do primeiro mandato e que muitos o acusam de não ter feito nada ao ponto de se falar no nome de Manuel Alegre como alternativa somos obrigados a concluir com os resultados desta votação que ou os militantes do maior Partido portugues aparvalharam de vez ou em alternativa o homem sempre deve ter feito durante estes primeiros anos alguma coisa de jeito. Eu cá que não sou socialista tenho alguma dificuldade em vir agora exaltar os seus méritos,pois para além do tão falado choque tecnológico, de ter equilibrado as contas públicas reduzindo o defice para niveis europeus,ter criado o cartão único do cidadão, ter cuidado do ambiente atraves do incentivo ás energias alternativas e ter obrigado os professores da velha guarda relapsos e contumases a serem avaliados para provarem que têem capacidades para ensinarem os nossos filhos, não vejo que ele tenha feito grandes coisas.
É claro que também foi durante a sua governação que foi viabilizada financeiramente a Segurança Social com o alargamento da reforma para os 65 anos,foi também viabilizado o Sistema Nacional de Saúde que estava em rotura financeira com o encerramento de Maternidades e pequenos Hospitais da provincia substituindo-os pelo encaminhamento dos pacientes para as grandes Unidades Hospitalares, foi ainda viabilizado a construção do novo Aeroporto em Alcochete e andou para a frente com os projectos do TGV e da terceira travessia do Tejo em Lisboa.Enfim, apenas coisas insignificantes para fazer em mais de mil dias de governação!
Não resisto à tentação de comparar esta insipida governação socialista com a anterior do menino guerreiro Pedro Santana Lopes e do seu mentor José Manuel Durão Barroso,que para além de terem dado há Europa um bom Presidente do colégio de Comissários deram-nos também o espéctaculo de ver frequentemente um Primeiro Ministro perdido pelas noites Lisboetas quando não estava á tareia com os seus amigos mais intimos que transformara em Ministros.
Se recuarmos até à anterior legislatura encontramos o fujão do António Guterres que acabou por deixar o Pais atascado num pantano como ele próprio o disse publicamente logo em seguida a ter mostrado ao Pais que não sabia fazer contas de cabeça, nem que fosse a contar pelos dedos,pelo menos no que diz respeito ao PIB nacional.
Foi necessário recuar mais de uma década para encontrar um outro governo que tenha governado tão mal como o do Sócrates. Analisando a obra deixada por Anibal Cavaco Silva, não o Presidente mas sim o Primeiro Ministro,que com a nossa entrada na Comunidade Europeia e consequente adesão ao Euro,as centenas de quilometros de auto estradas que construiu munindo o Pais de uma moderna rede viária e de ter salvo o Pais de uma recessão financeira tão grave como a que enfrentamos agora, concluimos também que o seu governo nada fez por este Pais.
Correndo o risco de me repetir,volto afirmar que não sou nem Socialista nem Social Democrata, porque me assumo como Anarquista desiludido da politica,pelo que não me cabe a mim a responsabilidade de defender estes dois governos,e muito menos fazer calar todas as vozes de esquerdistas complexados que só sabem dizer mal.
- 96,5% ! Terá sido um resultado justo?! Porque não votar no Poeta Alegre que na realidade é autor de Poesias maravilhosas?

sábado, 14 de fevereiro de 2009

ELES ANDAM POR AI


Aproveitando este Verão antecipado, hoje sábado fui gozar o sol passeando no paradão entre Estoril e Cascais. Por ser fim de semana este estava repleto de domingueiros que faziam igual passeio, mas enquanto eu vestira o calção de banho a condizer com o dia solarengo,a maioria destes ainda se vestiam de Inverno com os casacos e as camisolas amarradas á cintura.
Há hora de almoço procurei um lugar numa das esplanadas mas elas estavam repletas não havendo uma única mesa vaga. Quando reparei num casal de velhos com bom aspecto que ocupavam duas mesas,solicitei de imediato permissão para separar uma delas afim de que eu e a minha mulher pudessemos almoçar. Enquanto aguardavamos pelas lulas e devido á proximidade da mesa vizinha não pude deixar de ouvir as conversas telefonicas que o senhor tinha em alta voz atraves de um telemovel de grandes dimensões,que parecia ser daqueles que são um autentico escritório ambulante com internet,e-mail e uma data de outras funções que eu não entendo,mas que parecem ser importantes para os homens de negócios. No curto espaço de cinco minutos ouvi-o telefonar para o Japão numa conversa em japonês escorreito da qual apenas percebi a palavra "arigato",que como sabem deriva da palavra "obrigado "que os navegadores portugueses levaram até aquelas distantes paragens. De seguida ouvi-o marcar mesa para o jantar num restaurante de luxo. Imediatamente a seguir ouvi-o a combinar um programa com o Balsemão e o Champalimond...
- Normalmente quando pensamos naqueles milionários que roubaram os bancos,nesta crise do sub prime, ou que se divertem a fechar empresas mandando para o desemprego milhares de trabalhadores,imaginamos uns velhos carecas,gordos e barrigudos,num qualquer club privadissimo a beber whisky velho e a fumar charutos cubanos. A discrição fisica adapta-se a este meu personagem,só o local é que era diferente.Em vez de um lugar inacessivel para a maioria dos simples mortais onde nem as revistas cor de rosa têem acesso pois apenas se deixam fotografar para a Visão,a Exame e a Sábado, este encontrava-se ali mesmo a meu lado e no meio do povo. Muitos outros certamente farão o mesmo.
- Eles andam por ai!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

SEXTA FEIRA 13

Sexta feira dia 13 é considerado por muitos um dia de azar enquanto outros consideram um dia de sorte. Sorte ou Azar são duas interferencias no seio da energia em que o homem existe e da qual é feito. Desde o inicio do Big Bang que o Universo está em expanção baseado únicamente no equilibrio de duas forças a que chamamos de positivas ou negativas, ou se quisermos de força de gravidade ou força centrifuga ou ainda do bem ou do mal ou até de Deus ou Diabo...
Toda a matéria foi concebida apartir daquele momento primal,o qual evoluiu numa enorme explosão de dimensões galácticas,num Universo em expanção cuja evolução e limites são desconhecidos. Assim como isto é verdade para o macro-cósmo,também o é para o micro-cósmo onde a tal energia vital de que somos feitos rege-se também por aquela lei Universal.
Sorte é o acumular de energia positiva num determinado momento da existencia, enquanto o seu oposto azar é a situação inversa com energia negativa. Estas energias podem e devem ser controladas por nós atraves da concentração de pensamentos positivistas ou a ausencia dos mesmos num desanimo negativista,nada têem haver com o acaso ou qual outro tipo de superstição. Os acontecimentos regem-se pela lei das probabilidades e estas podem ser influênciadas pela força do nosso pensamento.
O mundo divide-se entre vencidos e vencedores. Os primeiros são os positivistas confiantes e os segundos os negativistas supersticiosos.
Sorte ou Azar dependem únicamente da nossa vontade.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

UM SOL QUE CHEGA


Todos os Invernos mal o Sol parte eu fugo de imediato para o Nordeste brasileiro ou demais paraísos ensolarados, como Cabo Verde, Sicilia e outras ilhas Gregas conjuntamente com Dubrovnick, a Pérola do Adriático, contando os dias e as semanas que faltam para que o Astro Rei volte a aquecer esta praia de Cascais onde tenho instalado a minha residência permanente.
Portugal é realmente um País priviligiado onde para além de há muito tempo que somos poupados das várias tragédias naturais,como terramotos,furacões e inundações, ainda temos pelo menos seis meses por ano com o Sol a brilhar.
Felizmente e ao que parece ele chegou mais cedo. Ainda estamos em pleno Inverno e hoje já fui almoçar na esplanada da praia de Cascais, como se estivessemos já no Verão. De acordo com a meteorologia o tempo ir-se-á manter assim apartir de hoje.
É UM SOL QUE CHEGA!
Infelizmente há:
UM SOL QUE PARTE...

UM SOL QUE PARTE

De seis irmãos que somos eu que estou no meio tenho uma maior proximidade com a minha irmã mais nova,a Isabel. Sendo a última a nascer foi imediatamente alcunhada com o nome de bebé. Cabecinha enfeitada com caracóis, olhos muito grandes esverdeados e um enorme sorriso onde sobressaia as duas enormes "favolas" dos dentes incisivos superiores que lhe davam um certo ar de Bugs Bunny.
O tempo foi passando e a bebé transformou-se numa jovem mulher,alta,magra e elegante, que não sendo propriamente bonita,tinha o condão de atrair os homens. Á medida que foi crescendo em corpo,cresceu também em espírito, tornando-se numa mulher perspicaz e inteligente mas sobre tudo possuidora de uma esperteza tipo "fura vidas"que a levava a nunca se atrapalhar com os problemas da vida fossem eles quais fossem.
Foi esse desenrascanço,aliado a um espírito de aventura,que a levou após o famigerado 25 de Abril, a emigrar para o Brasil, indo ao meu encontro em São Paulo, conjuntamente com o seu então noivo António Cardoso. Nesta enorme floresta de cimento de 17 milhões de habitantes, para onde eu imigrara uns meses antes,a Isabel e o António ficaram como meus hóspedes em minha casa, situação esta que nos aproximou ainda mais. Lá ,eu apadrinhei o casamento deles,longe dos demais familiares, do qual nasceu a minha sobrinha Maria,hoje uma inteligente mulher detentora de uma beleza de fazer parar o trânsito. Da Mãe herdou a elegância e do Pai o feitio calmo e ponderado tão necessário nos momentos difíceis da vida.
A vida da minha irmã Isabel foi bastante atribulada, nunca parando muito tempo na mesma actividade profissional sempre em busca de algo que ela não sabia o que era mas que sabia existir e que seria essencial para a harmonia do seu espírito sempre cioso de novos conhecimentos.
Essa harmonia acabou por a encontrar no Alentejo,na zona de Monsaraz, para onde se mudou por altura dos seus cinquenta anos de idade, dando assim uma volta de 180º á sua vida que então se encontrava um tanto sem rumo. Ali construiu o seu "castelo",sob a forma de uma autentica casa alentejana, para onde transportou todos os seus móveis, um amontoado de livros,um computador e toda uma vida passada. No lugar do jardim das traseiras,tinha o maior do mundo que se estendia até onde a vista alcança através de cearas que dançam ao vento e montados na linha do horizonte,onde o seu olhar se perdia em busca do INFINITO.
Foram intermináveis esses anos de busca feitos da leitura de centenas de livros e de pesquisas nas mais variadas fontes holisticas que foi tendo acesso.O INFINITO,acabou por o encontrar na pessoa do "VELHO", o seu "Amigo no Além". Com ele iniciou a fantástica aventura da vida transcendental na busca da "PASSAGEM " para outro plano. Estas experiências ficaram imortalizadas, no livro com o nome "Um Amigo no Além", que a Pergaminho Editores publicou no ano 2000,que se esgotou de imediato, cuja capa pode ser vista neste mesmo blog numa inserção situada atrás no meio dos barbudos.
Se há alguém que eu tenha conhecido que acredita verdadeiramente nas suas convicções, sejam elas religiosas,filosóficas ou agnósticas,esse alguém é a minha irmã Isabel Paço d'Arcos, que teve o privilegio de em vida encontrar o seu INFINITO na pessoa do seu VELHO, com quem de mão dada procurará passar para o outro lado. Ao que parece a doença prolongada e o desfecho final faz com que essa passagem não esteja longe. No seu leito de hospital, o que resta do seu corpo terreno aguarda em paz esse momento, que tanta dor e sofrimento trará a nós que a amamos e que seremos obrigados a cá ficar a suportar as saudades...
É UM SOL QUE PARTE...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

O Revolucionário JESUS


Mais dois barbudos revolucionários! Quanto ao Che Guevara ninguém tem duvidas que foi um revolucionário na mesma linha de pensamento dos dois barbudos anteriores. Mas o que muita gente não sabe é que o J.C. foi o primeiro dos revolucionários socialista e humanista de todos os tempos.
Olhemos o seu importantissímo sermão da montanha em que diz: "...MAS AI DE VÓS,RICOS! PORQUE JÁ TENDES A VOSSA CONSOLAÇÃO. AI DE VÓS OS QUE ESTAIS FARTOS,PORQUE TEREIS FOME..." (in Evangelho segundo S. Lucas, VI, 24 a 38)
"Ora se isto não é digno de um autêntico manual revolucionário de um qualquer movimento guerrelheiro da América do Sul?!" ( in A Divina Tragédia/Carlos Paço d'Arcos pág. 150).

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

UM AMIGO NO ALÉM

"TALVEZ NÃO ACREDITEM SE EU DISSER QUE TENHO UM AMIGO NO ALÉM, TAL COMO TODOS NÓS. SÓ QUE EU CONHEÇO ESSE MEU AMIGO."

(in Um Amigo no Além de Isabel Paço d'Arcos da Pergaminho Editora/2000)

QUE ESSE TEU AMIGO ESTEJA Á TUA ESPERA DE BRAÇOS ABERTOS MINHA IRMÃ!

Á beira do abismo

Á beira do abismo não olhes para trás.
Deixa que as forças da natureza actuem livremente sobre o teu corpo.
O Céu é apenas um e ao mesmo nível:
Quanto mais funda for a tua queda mais gloriosa a Ascenção!

"Poema inédito de Anrique Paço d'Arcos para sua filha caçula Isabel"

KARL & CARLOS


QUALQUER SEMELHANÇA NÃO É MERA COINCIDÊNCIA!
Foi preciso quase um século e meio para que as palavras profeticas daquele barbudo tivessem eco na sociedade mundial.
Foi preciso quase meio século para que as palavras deste outro barbudo também fizessem eco nesta actual REVOLUÇÃO DA PALAVRA, que a juventude mundial está a levar avante tendo como líder o Presidente negro,Barak Obama...

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

ULTIMA HORA



"Os donos do capital vão estimular a classe trabalhadora a comprar bens caros,casas e tecnologia, fazendo-os dever cada vez mais, até que se torne insuportavel. O débito não pago levará os bancos á falência, que terão que ser nacionalizados pelo Estado." ( karl Marx,in Das Kapital,1867)

Qualquer semelhança não é mera coincidência.

Este foi o texto do e-mail que recebi á ULTIMA HORA.

- INFELIZMENTE KARL FORAM PRECISOS 142 ANOS PARA QUE ESTA TUA AFIRMAÇÃO VISIONÁRIA ACONTECESSE!

Justiça à Portuguesa


Justiça de vidro


Hoje fui ao velhinho Palácio da Justiça no alto do Parque Eduardo VII para tratar de um assunto relacionado com uma divida minha de há dez anos atrás,quando não paguei uma despesa de mil contos derivada da ida para estudar no estrangeiro de uma das minhas filhas. Finalmente decorrido todo este tempo sou obrigado a pagar pois a cobrança coerciva já se encontra na fase de penhora.Como não podia deixar de ser,ao fim de uma década,em que o processo deve ter andado a passear-se pelos corredores dos meandros da justiça,este chega finalmente ao fim obrigando-me a pagar cerca de 10 mil euros, já com juros e custas incluídas,ou seja mais ou menos o dobro do valor inicial.
No Palácio da Justiça sou informado que o assunto já não era ali mas sim no novo Complexo Judiciário que está a ser instalado no Parque das Nações. Para lá me desloquei e depois de muito procurar ao redor da Gare do Oriente e do C.C. Vasco da Gama,acabei por ser informado que as novas instalações do Ministério da Justiça eram uns prédios que se encontram no topo Norte da rua principal. Eu nem queria acreditar no que estava a ver quando finalmente lá cheguei.Uma meia dúzia de altas torres de luxo totalmente envidraçadas,orientadas estrategicamente em relação á vista do Rio e respectiva Ponte Vasco da Gama, unidas entre si por um vasto complexo de estacionamentos,pátios e escadarias monumentais. Ao que parece inicialmente aquela belíssima estrutura arquitetonica,fora concebida para ser um grande condomínio habitacional, onde impera o luxo e a harmonia do vidro reflectindo o azul do céu que se confunde com o das águas do Rio.
Foi precisamente para este local de sonho que o nosso brilhante Ministro da Justiça entendeu que deviam ser instalados todos os Tribunais,que inicialmente estavam previstos na hipotética Cidade Judiciária projectada para o Concelho de Oeiras e que nunca chegou a ser construída.O Tribunal Criminal da Boa Hora,bem como o outro que se encontra perto da Maternidade Alfredo da Costa, serão desactivados e transferidos brevemente para aquelas novas instalações.Ao que parece,também alguns dos serviços que estão actualmente no Palácio da Justiça,também para lá vão como pude verificar hoje ao procurar um simples Juízo Cível de execução.
Devem ser os sinais do tempo! Em plena crise, como não á dinheiro para se construir uma Cidade Judiciária, aproveitando uma eventual dificuldade financeira daquele promotor imobiliário, aluga-se todo um complexo de luxo situado numa das zonas mais nobres da cidade,pagando uma renda mensal que certamente rondará umas dezenas de milhares de contos,(ainda bem que é em contos e não em euros,pois já ninguém se deve lembrar deles e assim dá menos nas vistas).
Contos ou euros vai tudo dar no mesmo. Eu referi-me propositadamente há moeda antiga para dar uma dimensão geral da grandiosidade do absurdo desta despesa. Não há dinheiro para salvar os salários dos trabalhadores das empresas que estão a falir diariamente. Não há dinheiro para baixar os impostos pelo menos até valores anteriores ao aumento do IVA. Não há dinheiro para contratar novos funcionários judiciais para impedir que um simples processo de uma divida ridícula demore dez anos a chegar ao fim. Não há dinheiro nem para mandar cantar um cego,conforme afirma a líder da oposição. Mas,pelos vistos,há dinheiro para alugar este autêntico "elefante de vidro",digo elefante branco,que representa este novo Complexo Judiciário.
GRANDES NEGÓCIOS que devem estar por detrás disto. Gostaria de saber quanto,quem e como vão ser recebidas as LUVAS por fora...Há dez anos atrás deixei de pagar uma divida de mil contos. Hoje sou obrigado a pagar o dobro. Fazendo as contas á inflação do aumento do custo de vida,verificamos que mil contos naquela época tinham um poder de compra pelo menos de quatro vezes superior ao de hoje. Como só tenho que pagar duas vezes mais,pode-se concluir que acabo por pagar somente metade da divida. É a lógica da batata mas neste caso corresponde a uma realidade que nos incentiva a deixar de pagar as nossas dividas na expectativa de as pagar em tribunal passados dez anos com uma redução real de 50%. E viva a matemática!
E assim "a gente vai levando",como diz o outro. É a justiça que temos ou que não temos.É a justiça de vidro,tão frágil como este que encontra hoje um local de vidro a condizer com ela. Talvez assim haja finalmente transparência para se descobrir de onde vêem as famigeradas fugas do Segredo de Justiça.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Á NORA


Sócrates lê o nosso blog

Sócrates deve andar à nora conforme sugere a foto supra,pois à falta de melhores orientações económicas para governar,ao que parece,resolveu ler a Blague na Madrugada em busca de alternativas á sua falhada politica fiscal. Se não vejamos: No meu comentário de ontem aqui no blog teci várias considerações acerca da injustiça fiscal e social que é cometida contra o contribuinte português, em que uns pagam tudo enquanto outros continuam a comer tudo.
Ainda não se tinham passado 24h quando sou surpreendido por um discurso do nosso Primeiro,(ministro e não sargento), a defender alterações substanciais ao regime fiscal actual em que serão aumentados os benefícios para os contribuintes de baixa renda e aumentadas as contribuições para os de alta renda. Em resumo,limitou-se a repetir o que eu dissera na véspera,ou seja OS RICOS QUE PAGUEM A CRISE...

sábado, 7 de fevereiro de 2009

PORSCHES Á DÚZIA


Envelhecer em Portugal

Toda a gente sabe que o carro dos velhos ricos é o Porsche. Mal passam os 60, (anos e não kilometros/hora pois esses só acabam aos 260), quaisquer velho milionário português que se preze,(que os há muitos), compra imediatamente um Porsche,para andar a mostrar-se ás "miúdas", (quanto mais novinhas melhor),na expectativa de substituir os seus encantos pessoais perdidos algures no passado,pelos encantos do dinheiro personificado neste verdadeiro ex libris dos caros de luxo.
Basta sair á rua para confirmar de imediato esta minha afirmação,como aconteceu hoje comigo quando fui passear até ao miradouro do Alto da Guia em Cascais e deparei-me com os"Porsches á dúzia"documentado pelos 12 Porsches que se vêm na fotografia supra. Na esplanada á volta de uma grande mesa encontravam-se os seus proprietários, bando de velhos ricos e jarretas que se gabavam entre si das façanhas românticas que o Porsche e o Viagra lhes proporcionavam.
Tendo em consideração que o preço médio de uma destas jóias do automobilismo ronda os 100 mil €, ou seja mais ou menos dez anos de salário de um trabalhador português,temos a prova inequívoca da justiça social instalada no nosso Pais, ( Vide foto em baixo).
Em alternativa temos "o outro lado da velhice",(vide segunda foto em baixo). Vegetando ao sol das esplanadas de modestos cafés,temos a multidão dos outros velhos,(a quem ridiculamente chamamos de terceira idade), que arrastam assim o passar dos minutos e segundos que lhes restam para a passagem final, numa luta constante para sobreviverem com as modestas pensões de reforma, que lhes proporcionam o exíguo salário anteriormente referido.
Estatisticamente neste nosso Pais á beira mar plantado 20% dos contribuintes são detentores de 80% da riqueza existente,mas somente pagam 20% das contribuições arrecadadas pelo fisco, enquanto 80% dos contribuintes que são apenas detentores de 20% da riqueza existente,pagam 80% das contribuições fiscais.
- Curioso não é?! Só não digo que é a lógica da batata porque me parece mais apropriado dizer que é "A LÓGICA DO PORSCHE".

O carro dos velhos


O outro lado da velhice


sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Carrinho de mão movido a gasolina


Aberta a caça ao pombo


PETROLEO versus AMBIENTE

Hoje quando fui abastecer o meu carro á bomba de gasolina deparei-me com uma fila de carros fora do normal,talvez anunciando o alarme de um novo aumento dos combustíveis. Toda a gente queria abastecer numa sofridão absurda como se tratasse de abastecimento de comida nas vésperas de um Holocausto. Á minha frente na bicha abastecia-se de gasolina o estranho veiculo da fotografia supra. - Será que agora até os carrinhos de mão são gasolino-dependentes?!
Mais a diante,circulando pelas ruas de Lisboa encontro á minha frente o outro estranho veiculo da segunda fotografia supra. Será que agora até já está aberta a época da caça ao Pombo?!
Estas duas fotos e as consequentes interrogações acabadas de apresentar,levaram-me a pensar acerca deste grave problema do PETRÓLEO versus AMBIENTE,tecendo as seguintes novas questões:
- Onde é que irá acabar esta total dependência do Homem em relação á gasolina e demais combustíveis fosseis obtidos através da refinação do Petróleo? Será que continuaremos a ser dominados pelas ( Quatro Irmãs), "As Quatro maiores companhias Petroliforas do Mundo"que há quase um século tem dominado por completo a politica mundial,controlando o poder económico,derrubando governos,e promovendo guerras a seu belo prazer?
Quando é que daremos ouvidos aos arautos da desgraça, tais como o ex presidente Al Gore e membros insuspeitos da comunidade cientifica que á muito vêm alertando para a destruição do ambiente através do efeito de estufa provocado pela combustão desmedida dos ditos combustíveis fosseis?
- Como irão sobreviver as espécies em vias de istinção,como as baleias exterminadas indiferenciadamente pelos pescadores japoneses,os tigres da Malásia caçados por desporto os elefantes abatidos pelo marfim das suas presas,e tantos outros como o lince ibérico,este em vias de istinção,apenas por motivo da tradicional estupidez nacional? Como iremos fazer qualquer coisa para as proteger,se nem os pombos que animam as estátuas das nossas praças e jardins,estão a salvo de serem caçados como documenta a fotografia.
"ONDE?QUANDO?COMO?"
São perguntas para as quais não temos respostas apesar dos nossos filhos e netos as exigirem. É tempo de se fazer cumprir os acordos já assinados,como os de Quioto, e incentivar a assinatura de outros tantos mais abrangentes,como a protecção da Floresta Amazónica,(verdadeiro pulmão do Planeta),e acabar com o buraco de Ozono que está a provocar o degelo nos Pólos com a consequente subida das águas dos oceanos que inundarão grande parte das zonas costeiras baixas de todas as massas continentais!
"Onde? Quando? Como?"... NUNCA!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

TUDO TEM UM FIM! - Menos a salchicha que tem dois...

Depois da tristeza do assunto tratado ontem e do comentário apropriado de uma seguidora,apeteceu-me hoje fazer uma inversão de 180º e contar uma anedota, mas infelizmente não fui capaz e dos 180º derrapei para os 360º voltando ao inicio da tristeza.
A morte volta a ser o tema só que desta feita não mais a dos amigos já desaparecidos,em cuja lista por lapso omiti dois nomes que me são tão queridos,o do Raul Coimbra meu primeiro sócio, e o do Quim Cardigues dos tempos de Torre Molinos.
De repente dou por mim a pensar na minha própria morte. Uma vez que ela é inevitável não deixa de ser conveniente, passados os 60 anos,ganhar coragem para a enfrentar. Estranhamente esta morte não me entristece.Não a desejo mas também não a temo encaro-a como algo tão natural como o de apagar a luz quando se sai de casa.
Dediquei grande parte da minha vida a pesquisar a filosofia das religiões,nos mais variados credos desde o Budismo Oriental até ao Cristianismo da minha cultura, passando pelo Tauismo de Lau-tze e Confúcio. Se juntarmos a estes as outras duas grandes correntes do Monotaismo o Islão e o Judaísmo, verificamos que em todos os seus livros sagrados,quer se trate da Tora,Corão ou Novo Testamento todos falam de um único Deus, que apesar de ter vários nomes é a mesma Divindade que criou o Universo e o Homem á sua imagem e semelhança.
- Mas não terá sido o contrário?! - Não terá sido o Homem que criou Deus á sua imagem e semelhança,ao ver-se enclausurado na sua mediocricidade necessitando de uma Entidade Suprema que fosse responsável não só pelos seus erros e defeitos como também pelas suas decisões e responsabilidades futuras.
Disse Mário Máximo no seu brilhante prefácio com que me brindou no meu livro "A Divina Tragédia" : -"Quem é Deus? Quantos de nós são Deuses de outros? Quantos outros são Deuses de nós?...Sem Deus,ele,o Homem,sente-se mais Homem mas,sente-se também abandonado.Eu diria por si mesmo!Não por Deus..."
Quando se tem humildade de olhar de frente para si mesmo e reconhecer a infimidade de si próprio em alternativa á infinidade de um qualquer Deus, passam a fazer todo o sentido tanto o nascimento como a morte. Ainda no ventre materno mal acabamos de ser gerados iniciamos de imediato o processo de envelhecimento que no cumprimento do código genético do ADN nos leva incontornavelmente até á morte,que é o fim. Este fim para os místicos e crentes é apenas uma passagem. Para mim descrente racional é apenas um ponto final, como tal fácil de aceitar sem medo de uma qualquer vida eterna com as horríveis hipóteses de um eventual paraíso ou uma condenação eterna. Apenas o tal apagar de luz...
- TUDO TEM UM FIM!- Menos a salchicha que tem dois...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

ESTOU TRISTE!


Estou muito triste! Hoje olhei frente a frente o fantasma da morte...Diante dos meus olhos surgiu-me a imagem de à mais de 10 anos da minha Mãe no leito da morte,cabelo grisalho e desalinhado,pele pálida a cobrir um rosto encavado onde apenas sobressai enormes olheiras de olhos inchados e um olhar de tristeza perdido no nada - Chorei!
No que diz respeito a afectos e à perca destes para a guerra da morte a vida foi madrasta para mim. Ao longo de 60 anos fui vendo partir uma a uma as pessoas de quem gostava e com quem fui capaz de construir profunda amizade.Umas foram levadas precocemente pelos horrores da guerra ou pela imprudência da juventude numa curva qualquer a uma estrada que não levava a lugar nenhum. Outros por doença súbita e inesperada que os apanhou sem qualquer pré- aviso,outros ainda os que padeceram de doença fatal prolongada no âmbito das patologias oncológicas que nunca perdoão. Por ultimo os meus próprios pais que morreram não sei bem de quê,pois a avançada idade já era razão suficiente para eu ter que me resignar a essa fatalidade.
Sempre lidei mal com estas percas,protegendo-me imediatamente num processo de negação que me levava a não me dar tempo para o luto,preferindo enganar-me a mim próprio como se nada tivesse acontecido.Tantas vezes entre os amigos vivos passam-se anos ou décadas em que nada sabemos uns dos outros pois as voltas da vida os projectava para um qualquer lugar perdido algures em lugar nenhum. Foi assim que lidei sempre com as minhas percas como se a qualquer momento o reencontro pudesse vir a acontecer ao virar de uma esquina num dia qualquer.Cheguei mesmo a levar este processo de negação a instâncias absurdas como no caso da minha Mãe,em que devido ao meu complexo de édipo eu (assassinei) toda a sua geração,criando por vezes situações absurdas de reencontrar passado anos amigas suas que á muito eu já considerava enterradas.
- Estou triste! Ou antes sinto a tristeza invadir o meu coração numa catarse final que faz desfilar diante de mim a multidão dos meus mortos. Invoco os seus nomes com respeito:
José Carlos Fonseca e seu alter ego Ulisses meu mestre e amigo; José Almeida Eusébio companheiro da juventude; Frederico Abecassis colega desde a primeira classe nos Maristas;José Sarmento dos tempos da Távola Redonda e das suas festas; Francisco Vinhais e José Amaral Pais da mesma época; Carlinhos Casal Ribeiro das loucuras em Lamego; Pedro Castelo Branco amigo de toda a vida; Por último, mas não forçosamente o último pois outros tantos haviam para acrescentar a esta lista macabra o recentemente desaparecido Bé Costa Quinta com quem tanto desbravei as noites de Lisboa...Estou tiste!!!!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Castanha Cáju

-Vocês sabem o que é uma castanha caju? - Claro que sabem! Pois na pior das hipóteses já comeram no meio dos outros aperitivos salgados, como as nozes,os amendoins e os pinhões.
O que vocês não sabem com certeza são as duas novidades que eu vou vos dar agora acerca desta pequena semente de forma original que se encontra no exterior e no topo do fruto do Cajueiro.
Primeiro: Se olharem bem para a primeira fotografia do bloco de imagens que vem a seguir,vão verificar que á uma castanha de caju gigante, do tamanho de um homem,com uma carinha sorridente e umas mãozinhas amorosas,que até apetece comer...Mas tirem dai o sentido pois ela é a minha mulher e eu não faço tensões de a compartilhar.
Segundo: Agora falando um pouco mais á séria, vou-vos falar do MAIOR CAJUEIRO DO MUNDO. Se olharem para as fotos seguintes vão ver uma imensa extensão de ramagem da copa de uma árvore que se encontra por detrás da minha mulher. De seguida vão ver-me a mim junto ao tronco principal e ramificações da referida árvore. Por incrível que pareça toda a ramagem fotografada do alto de uma plataforma de madeira construida de propósito para os visitantes,constitui a copa de uma única árvore que tem as dimensões de um campo de futebol. Poderão também verificar que o tronco se ramifica em centenas de troncos menores que se vergam ao seu próprio peso em direcção ao solo,donde renascem em outras tantas ramificações semelhantes,num emaranhado fantástico tal um gigante novelo de lã. Ao contrário do que possa parecer não se tratam de várias árvores,mas sim de uma única que por um estranho capricho da natureza cresceu ao longo de mais de um século desta forma bizarra.
- Mas o que é que a gente tem haver com isso? - Estarão vocês a protestar. - Nada! -Isto é só para vos chatear e por não me lembrar de mais nada para falar.
Voltando a falar outra vez á séria,quero compartilhar a primeira sensação que invadiu o meu espírito quando confrontado com tamanho fenómeno da natureza. Senti-me minúsculo face não só á dimensão como á beleza daquela árvore.
Deveria ser assim a Árvore da Vida do Jardim do Eden, cujo fruto proibido Eva deu a comer a Adão. Para a história passou a imagem de uma maçã, mas quem sabe se não era aquela mesma árvore e o fruto uma castanha caju como aquela que eu tenho o privilégio de dormir ao meu lado todas as noites.
-Abençoado PECADO ORIGINAL!!!

O maior Cajueiro do mundo
















segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

A saga do copo d'agua

Oi malta! Aqui estou eu outra vez conforme prometido terminadas as férias das férias no final do mês de Janeiro.- Mas hoje já é dia 2 de Fevereiro?! - Certamente questionarão vocês - O que aconteceu ao dia 1 ?
Têm toda a razão... o dia 1 foi realmente "apagado"da minha vida por culpa da"saga do copo d'agua".
O mal de passar férias em qualquer lugar é que no final temos que levar com o pincel da viagem de regresso. Por vezes esta viagem não é possivel fazê-la num único trajecto de avião, tendo que se fazer pelo menos uma escala num aeroporto numa qualquer outra cidade que nem sequer estava nos nossos planos iniciais, sobretudo quando se viaja por metade do preço numa companhia aerea como a TACV, que apesar de se arvorar como companhia aerea "de bandeira"daquele País ex colónia Portuguesa,só tem dois aviões de dimensão intercontinental. Um foi baptizado com o nome de IMIGRANTE e o outro com o original nome de B.LEZA.
Durante as nossas andanças aereas entre Lisboa e Brasil via Cabo Verde, acabamos por viajar em ambos os aviões e conhecer as suas tripulações. No regresso fomos confrontados com aquilo que eu acabei de chamar "a saga do copo d'agua".
Tudo começou quando chegamos a um desses aeroportos de escala para embarcarmos ao fim de duas horas no avião que nos levaria a Lisboa. O problema estava no avião que não estava lá. Espanto! O vôo fora cancelado por não ter passageiros suficientes e a companhia julgou-se no direito de o cancelar á ultima da hora sem sequer avisar os poucos passageiros que vinham de outras cidades para fazer a conexão com este. Mas á boa maneira tropical a companhia achou que bastava enviar estes passageiros para um hotel por sua conta em taxis especialmente fretados para o efeito e que os mesmos seriam obrigados a ali permanecer por 24 horas até ao vôo do dia seguinte que certamente já seria rentável pois acumularia os passageiros de ambos os vôos.- Que fazer?! Nada, para além de protestar de viva voz e aceitar conformado com a ausência de alternativas.
E foi assim que o dia 1 desapareceu da minha vida e deste blog,pois certamente não iria compartilhar com vocês os interminaveis minutos passados num hotel e numa cidade não escolhida por nós quando ansiavámos com o á muito programado regresso a Lisboa.
Finalmente o bagageiro bate á porta do quarto do hotel ,anunciando a chegada do táxi para o aeroporto e carregar as malas. No chek out solicitam-me a confirmar todas as despesas de alojamento e refeições para serem devidamente pagas pela companhia aerea. Confesso que a despesa não era nada pequena face aos preços daquela unidade hoteleira de 4 estrelas. Mas certamente ainda assim deveria ficar mais barata a companhia do que a despesa do combustivel do vôo cancelado,uma vez que ao todo não passavamos de uma dúzia de vitimas compulsivas. É então que acontece o primeiro acto da "saga do copo d'agua". Numa terra onde a água da torneira não pode ser bebida,sob pena de se contrair doenças tropicais como a colera e outras tais,não tivemos outra alternativa de beber durante aquele periodo água mineral que foi posta á nossa disposição sobe a forma de copos de plástico armeticamente fechados que se encontravam dentro do frigo bar do quarto. Por incrivel que possa parecer as ordens da companhia aerea que acabara de gastar uma pequena fortuna com a conta do hotel,obrigavam-nos a pagar os copos de água que fomos obrigados a beber. O preço não passava de um simbólico contra valor de € 3.00, mas mesmo assim eu recusei-me a pagar pois não aceitava ser obrigado a estar num cativeiro e ainda por cima ter que passar sede. Depois de muito discutir e de alguns telefonema para a TACV,que absurdamente reconfirmava as suas instruções de que não pagava a água bebida,lá tive que me render e pagar os famigerados €3.00, não sem antes exigir uma factura discriminada que me permite ter a devida prova para estar agora a escrever estas palavras.
O segundo acto desta saga acontece já dentro do avião ainda antes dele se fazer á pista. Tendo a minha mulher necessidade imperativa de tomar um comprimido á hora certa determinado pelo médico,solicitamos por três vezes ao pessoal de cabine,um copo de água,tendo cada um dos três garantido que o ia buscar imediatamente. O tempo passava,as torbinas roncavam e a água não chegava. Aflita a minha mulher levantou-se e dirigiu-se á chefe de cabine para solicitar incarecidamente o tão indespensavel copo de água,acabando por ser escurrassada para o lugar com a desculpa que não podia estar em pé enquanto o sinal de "apertar cintos" não se apaga-se.
Passei-me dos carretos! Levantei-me e com a minha voz forte e firme gritei exigindo um copo d'agua.- Milagre! O copo d'agua apareceu em dois segndos pela mão da ex arrogante chefe de cabine. O comprimido foi tomado,o avião começou a mover-se,as torbinas roncaram com mais força e fomos projetados para o ar.
Chegamos finalmente ao último acto da "saga do copo d'água". Antes do grito ninguém nos ouvia num desfilar frenético de arrogância emprestada pela autoridade dos uniformes,envergados por alguém que sem eles certamente é invisivel...Depois do grito foi um desfilar solicito de cortesias e desculpas...
Que tragédia! Trinta e três anos se passaram desde a independencia do jugo colonial. Bastou um copo de água e um grito para varrer três décadas de conquista da dignidade da pessoa humana. - SHIIM PATRÃO!!!!