quinta-feira, 27 de agosto de 2009

140 - CANAL 5 - MENSAGEM PARA O FUTURO

É AQUI, NESTE BANCO DO JARDIM DA ESTRELA, E ASSIM ABRAÇADO AOS MEUS PAIS, À MINHA IRMÃ ISABEL E A QUALQUER OUTRO QUE EU AME QUE ENTRETANTO TENHA PARTIDO MAIS CEDO, QUE EU QUERO UM DIA VIR A SER RECORDADO.


video
**
Anónimo disse...
*
Olá,Eu sou a filha do 'Sonho' ou melhor 'do 'pesadelo'...posso dizer que foi muito 'aflitivo'...porque de facto custa sempre muito ficar 'longe' de quem amamos.
Querido pai, só posso dizer que foi muito bom ACORDAR...
Aproveito o meu sonho e o post do meu pai para aqui deixar um texto lindo sobre a morte...
**
A morte não é nada.
Apenas passei ao outro mundo.
Eu sou eu.
Tu és tu.
O que fomos um para o outro ainda o somos.
Dá-me o nome que sempre me deste.
Fala-me como sempre me falaste.
Não mudes o tom a um triste ou solene.
Continua rindo com aquilo que nos fazia rir juntos.
Reza, sorri, pensa em mim, reza comigo.
Que o meu nome se pronuncie em casa como sempre se pronunciou.
Sem nenhum ênfase, sem rosto de sombra.
A vida continua a significar o que significou, continua a ser o que era.
O cordão da união não se quebrou.
Por que eu estaria fora dos teus pensamentos, apenas porque estou fora de vista?
Não estou longe,
Somente estou do outro lado do caminho.
Já verás, tudo está bem…
Redescobrirás meu coração.
E nele redescobrirás a ternura mais pura.
Seca tuas lágrimas e,
Se me amas,
Não chores mais.
Mariana
**
Anónimo disse...
*
Eu sou uma outra filha. Só agora vi o post...Acho que não tenho medo da morte, só não a percebo e temo enormemente a saudade.
Parece-me ser mesmo isso o terror da morte dos que amamos: uma pérpetua e corrosiva saudade.E na senda das reflexões do meu pai sobre a cremação e os infernos, aqui deixo uma máxima de Vicor Hugo que conheci à dias (não o Victor Hugo, a máxima) e que nos permite sorrir sobre o assunto: «Enfer chrétien: du feu. Enfer paien: du feu. Enfer mahométan: du feu. Enfer hindou: des flammes. Á croire les religions, Dieu est un rôtisseur» :)
**
Anónimo disse...
eu não sou filha mas não posso deixar de dizer ao Carlos que sendo ele tão amado não tem que temer nada mesmo, nem morte nem mistério nem vida desconhecida que possa ainda ter na eternidade pois o Amor é um catalizador fortissimo e não deixa que qq outro sentir seja mais forte e poderoso que ele.Viver dia a dia sem medo é o melhor para tds nós e o depois... Logo se vê (ou não...)

3 comentários:

  1. Olá,
    Eu sou a filha do 'Sonho' ou melhor 'do 'pesadelo'...posso dizer que foi muito 'aflitivo'...porque de facto custa sempre muito ficar 'longe' de quem amamos.
    Querido pai, só posso dizer que foi muito bom ACORDAR...
    Aproveito o meu sonho e o post do meu pai para aqui deixar um texto lindo sobre a morte...



    A morte não é nada.
    Apenas passei ao outro mundo.
    Eu sou eu.
    Tu és tu.
    O que fomos um para o outro ainda o somos.
    Dá-me o nome que sempre me deste.
    Fala-me como sempre me falaste.
    Não mudes o tom a um triste ou solene.
    Continua rindo com aquilo que nos fazia rir juntos.
    Reza, sorri, pensa em mim, reza comigo.
    Que o meu nome se pronuncie em casa como sempre se pronunciou.
    Sem nenhum ênfase, sem rosto de sombra.
    A vida continua a significar o que significou, continua a ser o que era.
    O cordão da união não se quebrou.
    Por que eu estaria fora dos teus pensamentos, apenas porque estou fora de vista?
    Não estou longe,
    Somente estou do outro lado do caminho.
    Já verás, tudo está bem…
    Redescobrirás meu coração.
    E nele redescobrirás a ternura mais pura.
    Seca tuas lágrimas e,
    Se me amas,
    Não chores mais.

    ResponderEliminar
  2. Eu sou uma outra filha. Só agora vi o post...Acho que não tenho medo da morte, só não a percebo e temo enormemente a saudade. Parece-me ser mesmo isso o terror da morte dos que amamos: uma pérpetua e corrosiva saudade.

    E na senda das reflexões do meu pai sobre a cremação e os infernos, aqui deixo uma máxima de Vicor Hugo que conheci à dias (não o Victor Hugo, a máxima) e que nos permite sorrir sobre o assunto: «Enfer chrétien: du feu. Enfer paien: du feu. Enfer mahométan: du feu. Enfer hindou: des flammes. Á croire les religions, Dieu est un rôtisseur» :)

    ResponderEliminar
  3. eu não sou filha mas não posso deixar de dizer ao Carlos que sendo ele tão amado não tem que temer nada mesmo, nem morte nem mistério nem vida desconhecida que possa ainda ter na eternidade pois o Amor é um catalizador fortissimo e não deixa que qq outro sentir seja mais forte e poderoso que ele.
    Viver dia a dia sem medo é o melhor para tds nós e o depois... Logo se vê (ou não...)

    ResponderEliminar